Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

25 Abr 2020, 15:45 [#1181]
A ironia e a hipocrisia é tanta que até me faz mal.
https://expresso.pt/politica/2020-04-23 ... lszyAul4b4

A deputada não inscrita Joacine Katar Moreira considera "chocante" não ter direito a uma intervenção durante a sessão solene do 25 de Abril no Parlamento, criticando a decisão tomada em Conferência de Líderes. Em comunicado, a deputada arrasa a esquerda uma vez que todos os partidos – PS, PSD, BE, PCP, CDS, PAN E PEV – votaram contra a sua intervenção na cerimónia do próximo sábado, ao contrário dos deputados únicos do Chega e da Iniciativa Liberal.

"Quero dizer à esquerda que a justificação de que é preciso respeitar o regimento - que é omisso sobre quem tem direito à palavra nas celebrações - é sofrível e é de uma grande ironia quando se trata da celebração da Revolução dos Cravos. Não será este um “direito mínimo”? O direito de usar da palavra na celebração do momento fundador da nossa Democracia e que, justamente, forja a Constituição,que nos rege a todas e todos e muito em particular o exercício do cargo que ocupo?", questiona Joacine Katar Moreira.

A deputada lamenta ser "silenciada" durante as comemorações da Revolução de Abril e acusa o PCP de não ter "consciência histórica" e o BE e o PS de se mostrarem incapazes de combater a extrema-direita. "E dirijo-me à esquerda porque sou de esquerda e a esquerda pôde sempre contar com o meu voto na maioria das suas propostas, porque creio partilharmos a visão de uma sociedade mais igualitária", acrescenta.

Após ter apresentado um requerimento urgente a solicitar ao Presidente da Assembleia da República o resultado da votação na Conferência de Líderes, Joacine Katar Moreira diz ainda considerar "injusta" a comparação com outros deputados não-inscritos, como Luísa Mesquita ou Paulo Trigo Pereira, que não tiveram o seu percurso. "Todos eles pertenciam a grupos parlamentares com vários deputados que continuaram a ter representação política e a ter voz em todos os momentos", sublinha.

A deputado destaca ainda a falta de consenso em torno do modelo de comemoração do 25 de Abril no Parlamento, com o CDS, o PAN, o Chega e a Iniciativa Liberal a defenderem outras alternativas. "Num momento de tanto ruído em torno da sessão solene do dia 25 de Abril, que nos demonstra que devemos estar atentos à democracia e aos valores de Abril, é sobretudo com profunda tristeza que faço este comunicado", conclui.
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

30 Abr 2020, 11:41 [#1184]
eduardextreme Escreveu:
25 Abr 2020, 15:45
A ironia e a hipocrisia é tanta que até me faz mal.
https://expresso.pt/politica/2020-04-23 ... lszyAul4b4

A deputada não inscrita Joacine Katar Moreira considera "chocante" não ter direito a uma intervenção durante a sessão solene do 25 de Abril no Parlamento, criticando a decisão tomada em Conferência de Líderes. Em comunicado, a deputada arrasa a esquerda uma vez que todos os partidos – PS, PSD, BE, PCP, CDS, PAN E PEV – votaram contra a sua intervenção na cerimónia do próximo sábado, ao contrário dos deputados únicos do Chega e da Iniciativa Liberal.

"Quero dizer à esquerda que a justificação de que é preciso respeitar o regimento - que é omisso sobre quem tem direito à palavra nas celebrações - é sofrível e é de uma grande ironia quando se trata da celebração da Revolução dos Cravos. Não será este um “direito mínimo”? O direito de usar da palavra na celebração do momento fundador da nossa Democracia e que, justamente, forja a Constituição,que nos rege a todas e todos e muito em particular o exercício do cargo que ocupo?", questiona Joacine Katar Moreira.

A deputada lamenta ser "silenciada" durante as comemorações da Revolução de Abril e acusa o PCP de não ter "consciência histórica" e o BE e o PS de se mostrarem incapazes de combater a extrema-direita. "E dirijo-me à esquerda porque sou de esquerda e a esquerda pôde sempre contar com o meu voto na maioria das suas propostas, porque creio partilharmos a visão de uma sociedade mais igualitária", acrescenta.

Após ter apresentado um requerimento urgente a solicitar ao Presidente da Assembleia da República o resultado da votação na Conferência de Líderes, Joacine Katar Moreira diz ainda considerar "injusta" a comparação com outros deputados não-inscritos, como Luísa Mesquita ou Paulo Trigo Pereira, que não tiveram o seu percurso. "Todos eles pertenciam a grupos parlamentares com vários deputados que continuaram a ter representação política e a ter voz em todos os momentos", sublinha.

A deputado destaca ainda a falta de consenso em torno do modelo de comemoração do 25 de Abril no Parlamento, com o CDS, o PAN, o Chega e a Iniciativa Liberal a defenderem outras alternativas. "Num momento de tanto ruído em torno da sessão solene do dia 25 de Abril, que nos demonstra que devemos estar atentos à democracia e aos valores de Abril, é sobretudo com profunda tristeza que faço este comunicado", conclui.
Realmente é irónico, a esquerda que passa a vida a chamar fascistas ao Ventura e à malta da IL, ser quem vota contra isto.

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

25 Jun 2020, 11:18 [#1186]
O PAN a cair aos bocados. hehehe

Depois do eurodeputado do PAN que saiu do partido, agora é mais uma deputada da assembleia não inscrita, para além das saídas da representação do PAN na Madeira.
A deputada que agora é não-inscrita acusa mesmo o PAN de não fazer nada em temas como clima e o UBI*, de atacar os membros com ideias contrárias e de não cumprir as próprias leis que defende como o direito a desligar-se do trabalho fora do horário de trabalho.

*UBI - Universal Basic Income (Rendimento Básico Universal) - Proposta de o governo pagar a todas as pessoas um salário mínimo. É algo que já foi sugerido por vários políticos em diversos países, incluindo recentemente pelo Andrew Yang nas primárias democratas nos EUA. Há uns anos a Suíça foi a referendo sobre o assunto e o não ganhou.


https://www.jn.pt/nacional/mais-uma-dem ... 51128.html
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

12 Ago 2020, 15:49 [#1189]
A TAP só começou em Agosto a fazer voos do Porto para alguns destinos internacionais, como para a Suíça.

Por isso não admira que no segundo trimestre deste ano o ranking de companhias aéreas no Aeroporto Francisco Sá Carneiro tendo em conta o número de passageiros transportados seja de:
1. Swiss Air (22%)
2. Ryanair (19%)
3. Lufthansa (12%)
4. Luxair (10%)
5. Air France (9%)
6. Transavia (8%)
7. Easyjet (6%)
8. TAP (5%)


As ligações Porto - Zurique e Porto - Genebra eram cobertas pela Swiss e TAP duas vezes por dia cada uma, com a EasyJet a fazer um voo por semana ou a cada duas semanas.
A TAP deixou de fazer, a Swiss continuou a fazer (Mas apenas um voo diário em vez de dois) e a EasyJet passou a fazer voos diários nestas duas rotas.
Se há alguma prova de que não é preciso o estado andar a esbanjar na TAP para manter rotas, aí está ele.
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

14 Ago 2020, 18:38 [#1190]
eduardextreme Escreveu:
12 Ago 2020, 15:49
A TAP só começou em Agosto a fazer voos do Porto para alguns destinos internacionais, como para a Suíça.

Por isso não admira que no segundo trimestre deste ano o ranking de companhias aéreas no Aeroporto Francisco Sá Carneiro tendo em conta o número de passageiros transportados seja de:
1. Swiss Air (22%)
2. Ryanair (19%)
3. Lufthansa (12%)
4. Luxair (10%)
5. Air France (9%)
6. Transavia (8%)
7. Easyjet (6%)
8. TAP (5%)


As ligações Porto - Zurique e Porto - Genebra eram cobertas pela Swiss e TAP duas vezes por dia cada uma, com a EasyJet a fazer um voo por semana ou a cada duas semanas.
A TAP deixou de fazer, a Swiss continuou a fazer (Mas apenas um voo diário em vez de dois) e a EasyJet passou a fazer voos diários nestas duas rotas.
Se há alguma prova de que não é preciso o estado andar a esbanjar na TAP para manter rotas, aí está ele.
Só mesmo alucinados com o Pedro Nuno Santos é que acham que se a TAP acabar, ninguém mais vai voar para Portugal. Mas hey, afinal de contas, aqueles que pensam como eu e tu é que somos fanáticos, né?

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

16 Ago 2020, 23:56 [#1192]
eduardextreme Escreveu:
14 Ago 2020, 21:28
Exacto.
Fanáticos por não querer meter mil milhões na TAP, mais não sei quantos num aeroporto sem acessos chumbado pelas câmaras, ambiente e engenharia.
Milhões esses que eram melhor investidos, por exemplo, na ferrovia.
Atenção que um segundo aeroporto em Lisboa é importante, embora eu continue a defender que seria mais rentável apostar numa ferrovia decente entre Beja e Lisboa, descentralizando-se e apostando-se no que já existe.

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

17 Ago 2020, 00:48 [#1193]
O segundo aeroporto tem de ser num sítio de jeito, o que parece haver falta.
Todas as soluções são problemáticas e não falo do ponto de vista ambiental, que será sempre complicado.

Não acho que faça sentido um aeroporto em Beja como alternativa seja ao que for. É demasiado distante.
Se é para um segundo aeroporto, acho que deveria ser colocado a norte/nordeste de Lisboa / sul de Leiria / sudoeste de Santarém. Permitindo servir Lisboa e dar alguma proximidade ao Centro de Portugal, que penso que terá mais procura. Com acesso por comboio / metro ao centro de Lisboa.

Se é para ter outro aeroporto, não como segundo aeroporto de Lisboa mas para tirar tráfego deste (algo que não me parece ser o caso), acho que o melhor local seria Coimbra.

Em todo o caso continuo a achar que não é preciso segundo aeroporto de Lisboa. O problema é artificial, criado também pela centralização da TAP.
Mais vale construírem o TGV, e ganham slots no aeroporto com a retirada da ponte aérea.
Temos uma ligação de comboio Porto - Lisboa que demora mais que há uns 50 anos atrás.
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

27 Nov 2020, 10:54 [#1194]
A prioridade devia ser vacinar quem mais morre, ou seja, os mais velhos.
Mas Portugal ainda vai atirá-los para último se for preciso.
O primeiro esboço do plano de vacinação contra a covid-19 apresentado pela Direção-Geral da Saúde não caiu bem entre os peritos. Os mais velhos, o grupo mais afetado pela mortalidade da pandemia, está no fim da lista de prioridades.

O plano preliminar da DGS para a vacinação, apresentado por Graça Freitas, deixa as pessoas com mais de 65 anos para o fim do grupo de prioridades para a vacinação contra a covid-19. A proposta foi apresentada por Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, a um grupo de 22 peritos e causou indignação, relata a edição do jornal "Expresso" desta sexta-feira.

Segundo o plano preliminar, há cinco grupos prioritários para a vacinação contra a covid-19. Primeiro, os profissionais de saúde, depois os funcionários de lares. Em terceiro lugar a população dos 50-59 anos com fatores de risco, como os doentes crónicos, e em quarto lugar os portugueses dos 60 aos 64 anos sem comorbilidades.

No fim da lista de prioridades, escreve o "Expresso", está o grupo de pessoas com mais de 65 anos. Após estes cinco grupos, segue-se o resto da população portuguesa, numa ordem por definir.

Já o jornal "Público", que diz ter tido acesso às conclusões do grupo de trabalho, adianta que as "pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças graves, como insuficiência cardíaca, respiratória e renal, os funcionários e utentes de lares de idosos e os profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados deverão ser os primeiros a ser vacinados contra a covid-19".

Segundo este diário, "seguir-se-ão, numa segunda fase, 45 mil elementos das forças de segurança e da proteção civil e as pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças crónicas, como diabetes, cancro, doença pulmonar obstrutiva crónica, entre outras, e que totalizam perto de três milhões".

Segundo a SIC, as pessoas com mais de 75 anos ficarão de fora do plano da vacinação, para já, uma vez que as farmacêuticas e Agência Europeia do Medicamento não apresentaram provas suficientes sobre a eficácia da vacina neste grupo etário.

Dos 4209 óbitos associados à covid-19 desde o início da pandemia, 2834 (67%) tinham mais de 80 anos. O escalão etário anterior (70-79 anos) representa 20% do total de vítimas mortais (850 mortes). Somados, os grupos dos mais velhos representam 87% do total de vidas perdidas para a doença causada pelo SARS-CoV-2.

O escalonamento etário feito pela DGS não se encaixa na distribuição agora revelada pelo "Expresso". A faixa etária anterior às duas mais penalizadas, na organização da comunicação diária de resultados, encaixa pessoas com idades entre os 60 e os 65 anos, um grupo com 352 mortes associadas à covid-19 (cerca de 9% do total). Isto é, 96% dos óbitos ocorreram entre pessoas com mais de 60 anos.

No esboço que terá sido apresentado pela DGS, este último grupo é partido a meio, com os maiores de 65 anos a juntarem-se aos conjuntos acima, em termos de idade, para figurar em quinto lugar na lista de prioridades para a vacinação contra a covid-19.
Esatísticamente, os três grupos mais velhos representam 11% do total de infetados desde o início da pandemia. Segundo os dados do boletim da DGS revelado na quinta-feira, dos 280394 infetados, 13990 tinham mais de 80 anos (4% do total). No esalão anterior, dos 70-79 anos, houve, até ao momento, 8940 casos, o que corresponde a 3% do acumulado, enquanto no escalão com 60-70 anos, há 13819 infeções, 4% do total.

https://www.jn.pt/nacional/dgs-deixa-os ... 82060.html
Portugal (Expresso):
1. Profissionais de saúde
2. Funcionários de lares
3. Pessoas com 50-59 e fatores de risco
4. Pessoas com 60-64 sem fatores de risco (?)
5. Pessoas com 65+.
6. Resto da população

Portugal (Público):
1. Pessoas com 50-75 com doenças graves
1. Funcionários e utentes de lares
1. Profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados
2. Forças de segurança e proteção civil
2. Pessoas com 50-75 com doenças crónicas
3. Resto da população

Espanha:
1. Residentes de lares
2. Profissionais de saúde na linha da frente
3. Restante pessoal de saúde
4. Pessoas dependentes e deficientes
5. Idosos e doentes crónicos
6. Resto da população
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

27 Nov 2020, 14:35 [#1196]
A vacina que vem para Portugal (ou as vacinas covid no geral, não percebi) não tem eficácia compravada nessas faixas etárias a partir dos 75 anos, é a suposta razão segundo o que li para esses ficarem de "fora" (que não ficam, simplesmente não são os primeiros). Depois de comprovada a eficácia isso será alterado de certeza, senão até mesmo antes por causa da confusão que está a gerar. Mas é uma medida normal, se depois dos 75 não está comprovada eficácia, é normal que esteja definido dessa forma e que se vacine primeiro outros grupos de risco.
O Costa é que já aproveitou para vir fazer campanha para as redes sociais a dizer que as vidas não têm preço e que não se deve desistir delas apesar da idade. Mais uma vez ele e a DGS em sintonia, como já aconteceu nas escolas e nas feiras. :geek:
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

27 Nov 2020, 17:16 [#1197]
Essa história de não ser comprovada são dados com meses já, antes da 3ª fase de testes das vacinas, segundo disseram.

Por exemplo, a da Pfizer-BioNTech tem uma eficácia geral de 95% e de 94% nos maiores de 65.
Ou seja, não é nenhuma vacina 99% eficaz nos mais jovens e baixa nos mais velhos. Mostra ter uma excelente eficácia independentemente da idade.
Mas por outro lado, acho que não foi testado ninguém com mais de 85 anos.
Imagem

Re: [ACTUALIDADE] Assunto do dia

27 Nov 2020, 17:22 [#1198]
O que vinha na notícia da eficácia era 75 anos acho eu, não 65. Opa, mas se são dados actualizados ou não, não faço a mínima, estou apenas a repetir a "justificação" que lá vinha.

A da Pfizer provalvemente quase nem será usada se as outras forem boas, tal a temperatura em que tem de estar armazenada.
Imagem
cron